• Band Brasília

Caixa paga 1ª parcela do auxílio emergencial de 600 reais

A medida beneficia pessoas que já estavam inscritas no Cadastro Único e não recebem Bolsa Família



A Caixa paga hoje a primeira parcela do auxílio emergencial de 600 reais para nascidos em fevereiro, março ou abril que estavam inscritos no Cadastro Único e não recebem Bolsa Família. A previsão é que mais de 1.600.000 pessoas recebam o valor na poupança digital caixa.


Enquanto isso, o Fundo Monetário Internacional acredita que a economia do país irá encolher 5,3% este ano. O Governo considera a expectativa realista. A preocupação do momento é o tamanho do socorro para estados e municípios diante da crise.


Jair Bolsonaro se limitou a cumprimentar os apoiadores na saída de casa após o café da manhã com Davi Alcolumbre.Preferiu não comentar o encontro, definido por ministros do planalto, como amigável e extremamente proveitoso. A reunião com o presidente do Senado veio 12 horas depois da câmara aprovar um pacote de ajuda a estados e municípios que, segundo a equipe econômica, premia os maus gestores.


A proposta, que também prevê a suspensão de pagamentos de empréstimos a bancos públicos, segue agora para o senado e se não for modificada, o Governo Federal afirma que pode faltar dinheiro para quem mais precisa.


marcelo guaranys, secretário executivo da economia explica “Se a gente pesa a mão demais, dá recursos além do combate a doença, não teremos recurso para dar pra manutenção ao emprego e amparo aos vulneráveis, recurso do povo tem de ir pra onde o povo mais precisa [...]”.


O projeto dos deputados vai custar pelo menos 89 bilhões de reais para a união, levando em conta uma queda forte na receita de impostos de estados e municípios. Mas o tesouro calcula que a depender do efeito da crise, o valor pode chegar a cerca de 200 bilhões.

O que mais preocupa o Governo é a falta de contrapartidas, ou seja: governadores e prefeitos não precisam ceder em nada para receber o dinheiro.


Em busca de acordo, o Governo apresentou uma proposta alternativa, que não atrela o dinheiro à perda de arrecadação. A ideia é fazer o repasse de 40 bilhões com destino certo: ações de combate ao coronavírus nos estados e municípios, além de uma dupla suspensão de dívidas: 15 bilhões com bancos públicos e mais 22 bilhões com a união. Um total de 77 bilhões e 400 milhões de reais em recursos novos.


Mesmo que o Senado suavize o projeto, a última palavra é da câmara, porque a proposta retorna para os deputados. O Presidente Jair Bolsonaro já avisou que vai vetar qualquer medida considerada prejudicial às contas públicas.


12 visualizações

SBS Q.02 Lote 03 Bloco Q Edifício João Carlos Saad
Brasília-DF - 70070-120

Contato

Trabalhe aqui

Fale Conosco

Comercial

Anuncie on-line

Anuncie na TV

© Band Brasília • Todos os direitos reservados  •  Criado por Win7.com.br

Ao vivo